quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

FIRMIN



Saiu em português editado pela Planeta.

Já aqui tinha dado nota do prazer que me dera lê-lo em castelhano. A Planeta tomou conhecimento desse comentário e teve a gentileza de me enviar o livro em português. Chapeau! Gracias. Muito obrigado. Pela edição e pela oferta.

Começa assim:

"Sempre imaginei que a história da minha vida, se e quando a escrevesse, teria uma primeira frase grandiosa; uma coisa grandiosa como "Lolita, luz da minha vida, fogo da minha virilidade", de Nabokov; ou, caso eu não tivesse queda para o lírico, entâo uma coisa epopeica como "Todas as famílias felizes são iguais, mas as famílias infelizes são cada uma à sua maneira", de Tolstoi. São palavras que as pessoas não esquecem, mesmo que já não se lembrem do resto dos livros. No que diz respeito a primeiras frases, porém, a melhor, na minha opinião, é sem dúvida a que inicia "O Bom selvagem" de Ford Madox Ford: "Esta é a história mais triste que alguma vez ouvi." Já a li dezenas de vezes e continua a deixar-me de rastos. Ford Madox Ford era dos grandes."

É notável a história da vida e morte deste rato contada pelo próprio. No fundo é a história de cada um de nós mesmo que nem todos tenhamos para contar a história mais triste que alguma vez tenhamos ouvido.

A não perder. Um prazer raro e requintado.

2 comentários:

Tiago Carvalho disse...

já estou a ler

tonsdeazul disse...

A história de Firmin é simples e deliciosa! Adorei toda a envolvência da escrita e dos personagens que nos permitem sonhar, rir e chorar.