terça-feira, 6 de janeiro de 2009

AS AVÓS DO INCESTO QUASE POSSÍVEL




Doris Lessing, Prémio Nobel da Literatura em 2007, tem vários livros traduzidos em edições portuguesas. De entre eles, destacarei “As Avós e Outros Contos” (Editorial Presença). Por ser um bom livro, bem traduzido e… por ser um livro de contos! Na verdade, não sei se todos esses “contos” se poderão considerar contos, pois a sua extensão e, principalmente, a organização interna de alguns deles aproxima-os mais do género novelístico do que do contístico.
Embora tenha lido alguns trabalhos (tanto em português, como em francês) sobre a distinção entre esses dois géneros, nunca cheguei a uma conclusão muito precisa. Creio que é um “problema” que afecta intelectuais (e académicos) franceses e portugueses, e que nunca preocupou grandemente os seus congéneres de outros países. Por isso, acabei por optar por seguir uma norma muito simples: será conto o que o autor considerar como tal. Norma que não se pode aplicar a esta obra de Doris Lessing, visto a autora a ter apelidado “The Grandmothers”, simplesmente - o que me “obrigou” a reflectir sobre o assunto… A obra, de 274 páginas, é composta por quatro histórias, a última das quais, “Um Filho do Amor”, estende-se por 103 páginas. É uma história longa e complexa, envolvendo várias personagens e situações que ocorrem numa unidade temporal prolongada, com caracterizações várias e diferenciadas dos estados psicológicos dos intervenientes na acção. Por tudo isso, preferia considerá-la uma novela.
Mas, mais importante do que estas destrinças, é o conteúdo narrativo do texto, ou seja, a saga da personagem principal ao longo de dezenas de anos e a sua inserção em diferentes contextos geográficos, humanos e sociais. Uma história que parece dever algo a Somerset Maugham e à sua predilecção pelas vivências e pelos lugares exóticos do Império Britânico. Enfim, uma história notável, com um ritmo intenso, que se lê de um fôlego.
Diferente é a primeira história do livro, a que dá nome à obra: “As Avós”. Uma história deliciosa, que trata de um modo subtil um tema difícil: o incesto. Neste caso, o falso incesto (do ponto de vista biológico e legal), mas não menos incestuoso para as personagens que o vivenciam. A delicadeza das discrições, a finura das observações, a sensibilidade de que a linguagem está impregnada fazem deste texto uma referência obrigatória no estudo do conto (da novela?) da moderna literatura inglesa.
Albano Estrela

1 comentário:

miGuel pesTana disse...

Li «Gatos e mais gatos» da Doris Lessing faz pouco tempo. Fiquei com muita vontade de descobrir mais livros dela.


Gostei de descobrir este blogue!!

Parabens aos intervenientes, os 7

silenciosquefalam.blogspot.com