domingo, 27 de julho de 2008

Leitura de[para] Férias


“Nenhum Olhar” de José Luís Peixoto aqui convocado por Paulo Ventura será o primeiro da lista. Depois “As Cidades Invisíveis” de Italo Calvino porque nas férias devemos ler livros de viagens, parece-me bem. Paralelamente irei ler “O Engenheiro do Tempo” - uma entrevista a esse inventor da arte que é Duchamp. “A Prática da Arte” de António Tàpies será o próximo da lista.
“Fragmentos” de Novalis, livro que foi citado várias vezes por Gionni Rodari na sua “Gramática da Fantasia” – É assim, uns livros convidam-nos a ler outros livros. Tenho como projecto, ainda, a leitura de “O Homem se Qualidades” que foi incitado por Bayard.

1 comentário:

doisolhinhos disse...

"...Penso: talvez o céu seja um mar grande de água doce e talvez a gente não ande debaixo do céu mas em cima dele; talvez a gente veja as coisas ao contrário e a terra seja como um céu e quando a gente morre, quando a gente morre, talvez a gente caia e se afunde no céu...."